Carlos Vereza

Loading...

MENU

Navegue pelas veredas do Vereza clicando nas opções abaixo:

sábado, 16 de janeiro de 2016

A QUEM APELAR?!


Esqueçam qualquer esperança de uma intervenção militar para expurgar a camarilha petista. Os comandantes das três armas estão devidamente cooptados e chefiados por um super comunista. Toda a sociedade está gramscistamente aparelhada: brancos contra negros. Ricos contra pobres. Heterossexuais contra homossexuais.

Nas escolas, patifes travestidos em professores ensinam marxismo aos apáticos alunos, enquanto cartilhas são fartamente distribuídas nas escolas públicas, ensinando para crianças a partir de seis anos, que menino pode beijar menino na boca e menina pode beijar menina na boca. Assim. Bem didático, à pretexto de combater a homofobia.

O cotidiano não nos dá o necessário distanciamento para perceber que o processo de comunizar o Brasil está em pleno desenvolvimento. Esqueçam os três poderes, sobretudo o STF. A ditadura sindicalista-bolivariana, já está completamente instalada. O MST é uma milicia armada, assim como a CUT e a maioria dos sindicatos.

A Lava-Jato, última esperança, está sendo bombardeada e o sonho de consumo dos patifes é tirar o poder de investigação do bravo Sergio Moro. A igreja, particularmente a CNBB, em silêncio criminoso: nada mais conveniente que um povo domesticado. As redes sociais são um instrumento de denuncia, mas que termina resultando como um inútil desabafo. A quem apelar?!

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

ESCOLHA.

Não dá para ficar em cima do muro. Chegamos ao final de 2015 com um país falido, ética, política e moralmente. Não há complexidades metafísicas na realidade brasileira. Larápios travestidos em "idealistas", assaltaram a nação. Quem for a favor do pt, Lula e Dilma, deixará a condição de militantes ou simpatizantes, e assumirá o papel de cúmplices. Cúmplices do Mensalão, do Petrolão, e mais grave: cúmplices dos assassinatos de Celso Daniel e Toninho, de Campinas. Escolham um lado e assumam a cobrança histórica. Não há zonas cinzentas, meio termo, ou "quem sabe..." O descalabro é muito claro: uma organização criminosa está destruindo o Brasil. Escolha

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

.OPORTUNISMO

Alguns artistas e intelectuais manifestaram-se contra o impeachment. Direito de opinião a ser respeitado, exceto os já conhecidos por adularem o Ministério da Cultura, de olho no bom e velho patrocínio, que, afinal, ninguém é de ferro.
Como é possível, o país em frangalhos, a ética esbulhada, a corrupção como moeda de troca, existir um manifesto que apoia um governo altamente comprometido com as piores práticas dignas da mais execrável organização criminosa? Querem a permanência de Dilma, que desde seu cargo como Ministra de Minas e Energia, e mais tarde, Presidente do Conselho da Petrobras, foi no mínimo, conivente com as praticas de distribuição de propinas; ou alguém acredita que ela não soubesse das "nomeações" feitas por seu mentor, o abominável Lula da Silva? Como ignorar, que ela autorizou a compra de Pasadena, enferrujada, sucateada, dando um enorme prejuízo ao país? Dez entre dez delações premiadas revelam que Dilma e Lula sabiam de todo o esquema que surrupiou bilhões da Estatal; a operação Lava-Jato já possui informações que a campanha eleitoral de Dilma foi irrigada com dinheiro roubado da Petrobras. Mas os artistas e intelectuais que assinaram o tal manifesto preferem a cumplicidade com este lamentável estado de coisas. Mas aguardemos: a historia cobrará de cada um de nós a escolha que fizemos no momento mais dramático de nossa história.
Carlos Vereza

TODO O ARTISTA TEM QUE ESTAR ONDE O POVO ESTÁ.

Chico Buarque é, indiscutivelmente, um compositor excepcional. Acontece, que como toda figura pública, ele tem oportunidades, não comuns aos simples mortais, de expressar suas opiniões. No que se refere a suas opções políticas, é entusiasmado admirador de um partido que levou nosso país a uma situação de insolvência em todos os aspectos. Recentemente, Chico foi abordado verbalmente, por um grupo de populares que cobraram dele, como artista e cidadão, culto e esclarecido, o porquê de sua posição que colide com a opinião da imensa maioria do povo brasileiro. Nada de anormal, ele não foi agredido fisicamente, ofendido em sua honra, apenas, repito, como figura de grande expressão nacional, foi questionado por suas escolhas. Inclusive ele continuou defendendo o indefensável. Direito dele. Lamentavelmente, nem todo o artista pode cantar como Milton Nascimento: "...que todo o artista tem que estar onde o povo está." Simples, assim

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

O novo e a novidade.
Uma senhora tímida e sempre sorridente, acaba de realizar uma revolução na teledramaturgia.
Elizabheth Jhin, mineiramente, sem alarde, mudou definitivamente a história da telenovela no Brasil.

Em pleno sucesso de uma trama de época, saltou do século dezenove para os tempos atuais, desafiando os incrédulos que temiam uma “inevitável” queda de audiência.

Mudança total: de linguagem, figurinos, caracterização, Além do Tempo, para surpresa dos teóricos em comunicação, mantém os números inéditos para o horário.

Sendo que no capitulo de transição, chegou a trinta por cento, outro recorde nos folhetins das seis horas.
Fica assim este simples registro em homenagem a uma autora, que revigora um gênero, por muitos considerado em extinção.

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

LEITE E MEL...


    Não esperem uma Terceira Guerra Mundial com as mesmas características das anteriores. Não haverá disputa por territórios ou imposições de "raças superiores." Agora o que há é a exaltação de Tanatos contra Eros. A adulação da morte contra os valores do mundo "depravado" ocidental. Um "livro" contra a Civilização, que, a despeito de tantos erros e injustiças, erigiu a liberdade de pensamento e expressão como cláusula pétrea que tanto incomoda o horror. O inimigo está infiltrado, como por exemplo na França, onde são acolhidos com os mesmos direitos dos franceses, e odeiam o país enquanto desfrutam das vantagens do capitalismo. Não existe muçulmano "moderado." Por que não se manifestam em grande escala, a nível mundial, com estardalhaço mesmo? Nas Mesquitas, em território francês, pregam o terrorismo e a sharia, não se adaptam aos costumes locais e vaiam, como no Estádio de futebol, no dia em que explodiram três bombas, a Marselhesa entoada com fervor contra os atentados. Agora surgem os "compreensivos" alegando que eles moram em precários subúrbios, que são discriminados e por esta razão são presas fáceis do terror. Outra, digamos, teoria da bondade, é que o Estado Islâmico surgiu porque os EUA atacaram o Iraque, e os militares de Saddan Hussen, que conseguiram escapar, formaram este exercito de insanidade. Não citam que Saddan, entre outras barbaridades, assassinou mais de cem mil curdos além de financiar a Al Quaeda, que, "simplesmente," detonou as Torres Gêmeas nos Estados Unidos. François Hollande tem razão: é guerra. E tem que ser total até o esmagamento da última célula do terror. Que eles se estilhacem em rios de leite e mel

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

A CRIANÇA E O GATO.

Uma criança de três anos morre afogada numa praia da Turquia quando seus pais tentavam fugir da guerra na Síria. Assim, descrita friamente, é mais um número na cruel estatística de milhares de imigrantes em busca de uma vida mais digna. Fatos que dispensam explicações religiosas ou fatalistas. Esta criança é a minha indiferença. A indiferença de um mundo, que, além de ser de provas e expiações, é, sobretudo, a historia de um planeta de permanente sofrimento desde seus primórdios. Os fatos esbofeteiam minhas "certezas", minhas confortáveis "esperanças". Enquanto isso o noticiário de todos os meios de comunicação retratam, diuturnamente, as estripulias de um gato que caiu de um quarto andar, e, felizmente, ao contrário da criança de três anos, passa bem, obrigado. Domingo tem jogo no Maracanã

segunda-feira, 13 de julho de 2015

VAZIO NO UNIVERSO.

Ando revoltado com a morte do meu irmão Gilberto Arruda. Alguns espíritas conformam-se rápidos, apoiados em chavões, tipo - "é resgate". Não duvido do sentimento deles, mas nem tudo na doutrina significa que dois mais dois têm que resultar sempre em quatro. "É a Vontade de Deus!", como assim? Um médium dedica-se diuturnamente à caridade, desde os seis anos de idade, é brutalmente assassinado...e é a Vontade de Deus?! Somos,então, como meros replicantes, tipo Blade Runner, com prazo de validade? Mas uma caridade não cobre uma multidão de pecados?! E um milhão de caridades não apagaria qualquer débito pretérito por pior que fosse?! Maldito maniqueísmo que despreza os tons cinzas da vida e apoia-se, confortavelmente, nos clichês alienantes. Uma pessoa morreu! O universo não pode ignorar com frases encomendadas, este vazio! Algumas pessoas, são, sim.insubstituíveis. Luto e melancolia

segunda-feira, 22 de junho de 2015

HORROR.

Vieram de madrugada. Não como o canto dos pássaros ou o lamento de um blues. Vieram de madrugada. Não como os ruídos calmos da floresta, ou a volta da mulher amada. Eram seres desfigurados, transfigurados pelo ódio, em busca da vitima inocente. Ele dormia o sono dos justos. Não sabia que teria que sofrer as Sete Estações do Martírio. Gordinho e brincalhão como um anjo bagunceiro e renacentista. Distante dos prazeres mundanos, recolhido, dedicado ao bem, à caridade. Assistia e ria com as novelas, sua única distração. Atendia, diuturnamente quem o procurasse: na antiga oficina, operando de macacão sujo de graxa e branco de ectoplasma. Na hora da suprema dor Frederick retirou sua alma do absurdo suplício. As botas assassinas saíram desconcertadas da precária vitória. A Lua, implacável, como testemunha, marcou as faces do arbítrio.

sábado, 28 de março de 2015

CLAUDIO MARZO.

Partiu meu amigo Claudio Marzo. Viveu bem. Amou melhor. À época do regime militar colocamos uma faixa de ABAIXO A DITADURA em pleno Maracanã. Vai com Deus.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

DATA LIMITE.

Documentário “Data limite segundo Chico Xavier”, na íntegra, agora em nosso blog!
Sinopse:
Especialistas em ufologia afirmam que após a explosão das bombas de Hiroshima e Nagasaki, se verificou um aumento considerável no número de avistamentos de OVNI’S (Objetos Voadores Não Identificados) em todo o mundo.
Pouco mais de duas décadas depois, o médium brasileiro Chico Xavier confidenciava aos companheiros mais próximos que, por ocasião da chegada do homem à lua em 20 de julho de 1969, acontecera uma reunião com as potências celestes de nosso sistema solar para verificar o avanço da sociedade terrena. Decidiram pois, conceder a humanidade um prazo de 50 anos para que evoluísse moralmente e convivesse em paz, sem provocar uma terceira guerra mundial.
Se assim convivesse até a Data Limite, a humanidade estaria, a partir de então, pronta para entrar numa nova era de sua existência, e feitos magníficos seriam verificados por toda a parte, inclusive os nossos irmãos de outros planetas estariam autorizados expressamente à se apresentarem pública e oficialmente para os habitantes da terra.
Dentre os entrevistados do projeto estão o médium e orador espírita Divaldo Franco (considerado um dos maiores da atualidade), o escritor Geraldo Lemos Neto (a quem Chico confidenciou os fatos da Data Limite), o jornalista Saulo Gomes (que comandou o programa Pinga-Fogo na década de 60), o ufólogo brasileiro Ademar Gevaerd (O mais conhecido do Brasil), os generais Alberto Mendes Cardoso (Ex Chefe do Estado Maior do Exército Brasileiro e Ex Ministro da Casa Militar) e Paulo Roberto Y. M. Uchoa (filho do Pesquisador e também general Moacyr Uchoa) além do ex-ministro de defesa do Canadá, Paul Hellyer.
Para assistir, acesse: www.casadosespiritos.com.br/blog

BIRDMAM. O FILME.

Birdmam, disparado o melhor filme da atual temporada. Mesmo sabendo das sutis trucagens, todo ele é um grande e angustiante plano sequência, com Michael Keaton numa entrega comovente, rugas e calva em planos próximos.Edward Norton, como o ator puro ego, num contraponto dilacerante com Michael. O diálogo de Keaton com a crítica de cinema deveria constar do curriculum de todas as escolas de interpretação. Não importa que não leve o Oscar, de melhor ator para Eddie redmayne, como interprete do físico Stephen Hawking, por incrível que pareça, mais "fácil" de interpretar, a despeito do desconforto corporal do ator, que está muito bem. E para atriz coadjuvante Felicity Jones, como a esposa de Hawking, numa contenção entre o amor pelo físico, e o direito de ter uma vida plena. Mas Birdmam, entre o psicológico e a fabula é realmente - perdoem-me o clichê -, é imperdível

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Pretensão.

Richard Dawkins em seu livro, "Deus, um delírio", como quase todo ateu é de uma pretensão sem limites. A figura nunca viu uma materialização de espíritos -rigorosamente em carne e osso -, uma operação espiritual, e muito menos as mensagens de pessoas que já partiram para seus parentes ou amigos encarnados. Julgam-se superiores, incapazes de admitir uma Força Maior às suas modestas limitações. Esbanjando erudição, desconhece que a física quântica veio ratificar que uma partícula subatômica pode estar em dois lugares ao mesmo tempo. Assim como os espíritos. Que o objeto observado confunde-se com o observador. E dizer que ele é o big boss do ateísmo...

A Caminho da Luz.

Na minha opinião o espírita deve ler de tudo, além das obras da Codificação Comecei a ler o "papa" dos ateus, Richard Dawkins. Imaginei encontrar argumentos que pudessem abalar as mais profundas convicções da minha crença em Um Principio Criador. Mas a figura apoia-se, sem interrupção, na teoria evolucionista de Darwin, desconhecendo que o célebre naturalista, além de, em vida, não ter descoberto o Elo Perdido - ou seja o Salto Quântico que nos levou do hommus erectus ao hommus sapiens-, era Deista. Acreditava Num Deus que teria criado o universo, sem ser um Deus pessoal que "interferisse" nas questões particulares dos humanos. Não acreditava que sua teoria explicasse toda a historia da humanidade.Quem leu A caminho da Luz, tem conhecimento da ação do plano espiritual na evolução das espécies. Amai-vos e Instruí-vos, sem bitolas espirituais ou ideológicas.

domingo, 18 de janeiro de 2015

SOLIDÃO.

O Armagedom não acontecerá com forças definidas em um determinado campo de batalha. Ele já pode estar ocorrendo na crescente dissolução dos limites entre direitos e deveres, não só entre pessoas, mas sobretudo entre nações. A ameaça do irracionalismo religioso, por fundamentar-se em dogmas irredutíveis, "apoiado" em supostas "revelações" de deuses ou profetas, remete a humanidade à mais absoluta solidão. Somos todos, Hamlet, isolados em solilóquios desesperados. Somente a fé no Princípio Criador, ainda que aos soluços, construirá a ponte ao diálogo, entre os, aparentemente desiguais

domingo, 11 de janeiro de 2015

INTOLERÂNCIA.

Relativizar a chacina contra o CharlieHebdo como ação de extremistas fanáticos, é moralmente indefensável. Como desconhecer uma "doutrina" que trata as mulheres como seres inferiores, e tenta assassinar crianças, que apenas queriam estudar. O Alcorão é muito claro no que se refere a aniquilação de judeus. É intolerante em relação as demais religiões, e com severidade deve ser tratado.

domingo, 26 de outubro de 2014

O BOM COMBATE.

Aécio, há derrotas que nos enobrecem. Como você citou ao final do debate, o bom combate foi por você travado. O Espelho de Alice só pode ser transposto por seres de corações puros. Sabemos das fraudes, das manipulações, das nefastas bolsas que humilham os "beneficiados" Tenho o choro contido. Mas não derramarei uma lágrima, por sabê-lo o verdadeiro vencedor nesta pobre Pátria tão mal amada. Prefiro a sagrada indignação, como a do Cristo expulsando os vendilhões do Templo. Mais que um mar de lama, o país escoa entre detritos morais dos maiores corruptos em toda a nossa precária história. A alma pátria está embargada nos soluços reprimidos, na ética desprezada e ironizada. Mas, creia, Aécio: os patifes não passarão!

sábado, 25 de outubro de 2014

A calma na paixão.

A propaganda de Aécio é a antítese, formalmente, da demagogia petista. Câmera no tripé, pessoas com tempo para falar, som aceitável, sem entrar em contradição com os depoimentos. Fatos incontestáveis como os planos próximos e gerais da Transposição do Rio São Francisco intercalados com os habitantes da região. Ausência absoluta de histeria. Como diria meu querido e saudoso Vianninha: "Há em tudo, a calma na paixão."